sábado, 29 de outubro de 2016

I&I Tema Janela


Há muito tempo
Eu, saindo da adolescência

Disse-me, um amigo poeta

Fosse eu uma fruta
Seria um pêssego carnudo
Para comer
Sentindo o aroma
Mordendo lentamente
Sujando a boca

Foi tanta delicadeza..

Quisesse ele
Teria aberto a janela
Da minha virgindade




=*=*=*=

Jardim florido
Nele habitam
Lagartas e borboletas


=*=*=*=

Olhar perdido
Janela ou porta
Qual escolher?


sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Sonhei com John Lennon


Estava num ônibus com o celular conectado a uma impressora portátil imprimindo os detalhes de uma festa.
Ao chegar ao destino, uma Casa que me lembrava a minha em Mogi, John Lennon circulava entre os convidados (entendi que a festa era pra ele), vestido com calça e botas pretas e camisa estampada em preto e branco, os cabelos curtos.
Havia uma mesa instalada no centro da sala para que John pudesse atender os convidados.
Em determinado momento, consegui sentar-me ao seu lado com a intenção de guardar lugar pra Claudia, minha sobrinha, que vinha de Floripa vê-lo.
Ele notou minha presença e eu, tímida, coração aos pulos, fingi que não percebi. Achei que estava pensando em Yoko, mas não, era a mim que enxergava. Assoprou no meu ouvido afastando meus cabelos, perguntou se podia me beijar e foi beijando (ai que emoção), beijo de língua, demorado, beijo sem graça, sem sabor.. que decepção..

sábado, 27 de agosto de 2016

I&I Nos vagões do trem (memória afetiva)


Mogi das Cruzes 
Estação da Luz 
Infância 
Mãe 
Passeios 
Diversão 
Nos vagões, brincadeira de balançar nas alças

Trabalho, escola, linha variante 
São Miguel 
Brás 
Estação da Luz 
Calmon Viana 
Mogi 
Calmon 
São Miguel

Risco de pedradas 
Trem detonado 
Nos vagões, ambulantes vendendo amendoim 

A volta para casa após as aulas 
Sempre no terceiro vagão, o mais democrático 
Rodas de samba, pif-paf, truco, palitinho 
Paqueras, conversas e risadas 


="="="="=



Estação da Luz
Dracena
Nove horas de viagem 
pela linha tronco Sorocabana
Idas ao vagão restaurante 
ajudam o tempo a passar


 
 

domingo, 3 de julho de 2016

Inéditos & Inacabados




Herói

Mesmo sem capa e espada
Mesmo sem superpoderes
Meu herói segue... 




segunda-feira, 2 de maio de 2016

Inéditos & Inacabados - Abril 2016


Efêmero
Intenso instante
Emoção registrada
Na mente
HD em gigabyte

 ********

Variações do mesmo tema


Gota caindo
Perpetua o instante
Antes do fim


Pinga a gota
Antevendo o fim
Na poça

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Inéditos & Inacabados



                                                    


Pote cheio
Guloseimas
Criança indecisa
Só observa









domingo, 21 de fevereiro de 2016

Miyuki


Ganhei de presente no meu aniversário em 2014



é o vento em nossos cabelos
que compõe esse selvagem canto
e não essa força que nos protege
o que sempre nos aproxima tanto

é nosso grito de medo espesso
em algum poço de escuro espanto
e não essa paz que nos conforta
o que sempre nos aproxima tanto

é o perigo dos atalhos inseguros
onde moram temores e prantos
e não a certeza das nossas pontes
o que sempre nos aproxima tanto

é sempre esse amor por um fio
a possível ruptura e o desencanto
e não o sempre feliz e constante
o que sempre nos aproxima tanto

akira – 23/05/2014.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Crônica de uma injustiça




Cenário: hospital Santa Cruz

Cena I
A atendente: Sr Akira Yamasaki.
Akira: ........... (no celular, escrevendo um poema sobre o momento)
Eu: Akira, a moça está chamando.
Akira: Estou terminando.


Cena II
Akira sendo preparado para internação num recinto com vários pacientes separados por cortinas.


Aqui um parênteses para o meu diálogo com o enfermeiro:
Eu: Mas para que a internação e essa parafernália se é apenas a aplicação de uma injeção? Super, ultra moderna, uma substancia inteligente, quase milagrosa, mas uma injeção!
O enfermeiro: Este é o procedimento por ser uma intervenção cirúrgica (sic) com uso de anestesia. Serão 3 minutos para aplicação mais uma hora para recuperação da anestesia.
Eu: ??????????
Enfermeiros super treinados na simpatia me dando as explicações solicitadas


Cena III
Akira todo paramentado me pediu que tirasse uma foto para ilustrar o poema que postou no FB. Logo após foi conduzido à sala de cirurgia.


Cena IV
Toca o celular e fui informada que teria que sair do local para atender.
Quinze minutos depois a enfermeira foi me buscar porque fiquei atendendo o celular e o zap do povo querendo notícias. O paciente havia retornado.


Cena V
Período de recuperação. Akira no FB e eu tive que sair novamente para atender o celular. Eis que surge uma enfermeira com olhar reprovador me dizendo que o paciente estava liberado e que o papel da acompanhante era o de acompanhar o paciente.

Moral da estória: marido pop star, esposa leva bronca.